quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Cantiga de Ninar os Mortos

Um poema feito para os que aqui estão sem estar
e para as sanguessugas do Estado







CANTIGA DE NINAR OS MORTOS 


 Dorme pequena alma entre os ectoplasmas.

 Teu corpo foi devorado pelos vermes do acaso. 

Procure amanhã pelos becos estragados

 um pobre derrotado para se encostar. 

Talvez consiga se alimentar dos vícios do coitado. 



 Poema/ Edição/Criação/Voz: Lisa Alves

sexta-feira, 11 de outubro de 2013